Entenda os principais conceitos, diferenças e como decidir de acordo com a necessidade do idoso e da família

Quando chega o momento de buscar ajuda profissional e um lugar adequado para os familiares da terceira idade ficarem, surgem também as dúvidas: devo buscar um residencial para idosos ou casa de repouso? Qual a diferença entre eles e qual é a opção mais adequada para cada caso? Explicamos estas questões a seguir.

Casas de repouso – o que são?

Basicamente, a casa de repouso é um local de estadia permanente ou de reabilitação que, presta assistência 24 horas para pessoas com mais de 60 anos e que possuam enfermidades crônica e/ou alto grau de dependência de terceiros, mas que não precisam ser hospitalizadas. São instituições de caráter social que geralmente abrigam um grande número de idosos para cuidar da sua saúde, alimentação e higiene.

Apoio social

A maioria das casas de repouso conta com o auxílio de assistentes sociais. Estes profissionais ajudam os residentes a se acostumarem com o local  e, quando apropriado, auxiliam os mesmos a retornarem às suas residências. Os assistentes sociais também atuam na melhora da comunicação entre residentes e enfermeiros, ou entre residentes e familiares.

Residenciais para idosos

Também chamadas de instituições de longa permanência (ILPI), os residenciais para idosos são instituições particulares que oferecem serviços mais personalizados para a terceira idade. Contam com espaços amplos e confortáveis, assistência dedicada e eventos que contribuem para  melhor socialização. Estes espaços recebem idosos com maior grau de autonomia e que queiram mais conforto.

Estrutura e atividades

Geralmente possuem recepção, serviços de spa, cabeleireiro, , aulas de dança, fisioterapia, atividades culturais, entre outros. Os residenciais são similares à hotéis, com serviços de quarto diários. Existem algumas que possuem quartos triplos, duplos ou individuais. Os médicos, enfermeiros e demais profissionais da saúde fazem visitas frequentes aos residentes.

Semelhanças e diferenças

Pode-se dizer que os grandes diferenciais são conforto, qualidade de vida e autonomia.  Os residenciais para idosos procuram, de maneira geral, oferecer um ambiente mais parecido com um lar do que com uma clínica. Grande parte dos idosos que vive em residenciais pode sair e voltar a hora que desejar, como para passeios e compromissos, por exemplo. Também é comum a existência de nutricionista que avalia cada necessidade particular e sugere o cardápio adequado a cada caso.

Nos dois tipos de instituição os cuidados com a saúde e o acompanhamento clínico são oferecidos por enfermeiros treinados, e por médicos quando necessário.

Um lugar para chamar de lar

O estigma do asilo como um lugar triste e que remete  à solidão tem ficado no passado. Espaços como estes, sejam casas de repouso ouresidenciais para idosos, tem se preocupado cada vez mais em promover o bem-estar mental e a felicidade dos que ali vivem, com atividades recreativas, culturais e sociais.

Portanto, há muitas famílias que sabem que seu ente querido estará muito melhor assistido em um ambiente como este, do que em casa, onde todos têm suas atividades corriqueiras que os impede de dar a atenção que os mais velhos tanto merecem.

É o caso, por exemplo, da Cora. Aqui, nossos residentes têm apoio 24 horas da equipe de cuidadores, especializados em cuidado humanizado. Além disso, nosso time médico está à disposição para toda e qualquer emergência. Outro fator importante é que, o projeto arquitetônico Cora foi desenhado exclusivamente para oferecer conforto e segurança aos idosos que aqui vivem – eles se sentem em casa. Por fim, atividades de socialização e cardápio saboroso conferem aquele toque especial para a qualidade de vida dos residentes.

As diversas atividades e eventos promovem a socialização entre os idosos, garantindo o bem-estar e qualidade de vida. Em cada uma de nossas unidades ocorrem cerca de 100 eventos mensais, onde os idosos se divertem e aproveitam cada momento dessa fase tão importante da vida.