Descubra os tipos de equipamento e faça a melhor escolha

Estudos apontam que um terço da população idosa já sofreu de quedas dentro de casa. As quedas na terceira idade são motivo de grande preocupação, uma vez que provocam lesões graves e podem levar a hospitalização por longos períodos.

Para reverter este quadro encontram-se à disposição no mercado dispositivos que auxiliam na movimentação e no equilíbrio de idosos e pessoas com a mobilidade reduzida. É o caso dos andadores. Mas, qual o melhor andador para idosos? Para saber como escolher o modelo mais adequado para cada caso, continue a leitura a seguir.

Benefícios dos andadores

Andadores são recomendados para pessoas que tenham dificuldades em realizar o movimento de caminhar com precisão ou estabilidade. Eles contribuem com a segurança e o conforto de pessoas com mobilidade reduzida, principalmente por possuírem três ou quatro pontos de contato com o solo. Desta forma é possível para o idoso apoiar-se com firmeza enquanto caminha ou permanece em pé.

Andadores com rodas

Hoje em dia existem modelos de andadores com duas ou quatro rodinhas. Estes são indicados para as pessoas que precisam do apoio para caminhar, mas não tem força (ou habilidade motora) suficiente para erguer o andador do solo a todo momento.

A maioria possui rodas giratórias na frente e sistema de frenagem ou de diminuição da velocidade na parte superior. Por isso esta opção não é recomendada caso o idoso tenha dificuldades em fazer movimentos sutis com as mãos.

Roladores

Existem também os andadores mais compactos com três rodas, chamados de roladores. Eles são ótimos para pessoas que precisam se movimentar em um espaço mais reduzido. Assim como os andadores com quatro rodas, estes proporcionam mais liberdade e rapidez para o idoso. Outra vantagem é que o giro necessário para “manobrar” é menor, configurando assim uma opção prática.

Andadores fixos e articulados

Os andadores sem rodas ou tradicionais são mais estáveis e costumam ser mais baratos que os mencionados anteriormente. O modelo mais comum é o de quatro “pernas”. Com estes a pessoa tem a opção de levantar ou arrastar durante o deslocamento.

Dentro desta categoria existem também as opções de modelos fixos ou articulados. Como o nome já diz, os fixos não se movem, mas são mais simples de serem utilizados. Pode-se escolher entre os dobráveis e não dobráveis, no que diz respeito ao seu armazenamento. O recomendável é dar preferência aos dobráveis para facilitar o transporte dentro de um carro, por exemplo.

Existem também os andadores articulados, que de certa forma acompanham o passo da pessoa. Basta levantá-lo um pouco para o lado e movimentá-lo em seguida.

Adapte as necessidades

É importante, contudo, observar se o andador está ajustado para a altura do usuário e se suporta o peso necessário. O ideal é adquirir andadores que possuam regulagem de altura para que possam ser ajustados exatamente do tamanho correto.

Acessórios também podem ser adquiridos para gerar mais conforto e comodidade, como por exemplo bancos de apoio para descanso, bandejas, e cestas ou mochilas.

Além da escolha do andador é importante considerar o ambiente em que o idoso circulará, para que possa ter autonomia.

Acompanhamento profissional

Apesar de ter uma ideia de qual melhor modelo de andador para idosos, nunca dispense a opinião de um profissional de saúde. A escolha do andador e as instruções de como utilizá-lo devem ser acompanhadas por um médico e/ou um fisioterapeuta.