Se colocarmos na ponta do lápis os custos envolvidos no cuidado do idoso em casa é geralmente mais alto do que em um residencial. Em casa, a família ou o idoso precisa se preocupar com contas para pagar, como aluguel, água, luz, telefone, gás, internet, contratação de profissionais, entre outras; fazer compras no supermercado e preparar as refeições; limpar e arrumar a casa; acompanhar a administração de medicamentos; e há a preocupação de quedas ou, até mesmo, em passeios, onde há riscos de desaparecimentos, para os idosos com a doença de Alzheimer.

Ao morar em um residencial, todas estas tarefas e contas já estão inclusas na mensalidade. Ou seja, diminui a preocupação dos familiares em ter que pensar em cada detalhe do dia a dia.. Na Cora Residencial Senior, por exemplo, são oferecidas seis refeições diárias, elaboradas por nutricionistas; limpeza e arrumação são realizadas por profissionais da instituição; a medicação é administrada, 24 horas por dia, pela equipe assistencial; e o residente também conta com uma equipe multiprofissional composta por geriatras, enfermeiros, cuidadores, nutricionistas, fisioterapias, entre outros profissionais dedicados à disposição. Além disso, em um residencial feito a Cora, o idoso conta com atividades para socialização e bem-estar, evitando que fique sozinho, o que, muitas vezes, acontece quando os familiares cuidam em casa, mas precisam se ausentar algumas horas, dias ou meses por motivos pessoais ou profissionais.