O sal dá sabor aos alimentos, mas se for usado em demasia faz mal à saúde. A hipertensão e a insuficiência renal são os principais distúrbios. Embora ele afete todo mundo, os idosos são mais propensos a problemas provocados pelo excesso de sal. Quer saber por quê? Continue lendo este artigo.
O mineral nem sempre teve o status de tempero. Por muitos séculos ele foi usado para conservar alimentos. Isso porque as propriedades encontradas no sal são capazes de retirar água dos  alimentos.
Como no passado não existia geladeira, as pessoas colocavam sal em alimentos perecíveis (como carnes) para evitar o acúmulo de água que era responsável pela proliferação de bactérias e, consequentemente, de doenças.
Contudo diante de novas descobertas, o sal perdeu importância na conservação de alimentos e ganhou destaque como tempero a partir do século 20.
Mas onde nós queremos chegar é mostrar que o consumo deste tempero traz malefícios à saúde, porém, também não pode ser eliminado da alimentação. O ideal é encontrar um ponto de equilíbrio. Veja mais detalhes a seguir.

Confira os principais riscos do consumo exagerado de sal

O sal usado na alimentação é composto basicamente por sódio e cloro. Essas substâncias entram no nosso organismo e retêm a água.
Como o nosso corpo é composto por aproximadamente 70% de água, essa propriedade do sal provoca disfunções.
Desse modo para tentar equilibrar a quantidade de água, o corpo eleva a pressão para aumentar o fluxo sanguíneo.
O coração precisa trabalhar mais rápido para bombear mais sangue para o organismo. Isso causa hipertensão e risco de infarto. Os sintomas iniciais são pernas e mãos inchadas.
Mas além da hipertensão, com o passar do tempo o sal causa a insuficiência renal. Isso porque os rins funcionam como verdadeiros filtros que eliminam substâncias para as toxinas não caírem na corrente sanguínea.
Entretanto a grande quantidade de sal ingerida desregula as funções do rim, comprometendo a funcionalidade do órgão.

Lembre-se que o sal também tem benefícios

O sal não é apenas o vilão. Aliás, o seu consumo equilibrado faz bem à saúde. Veja os motivos:
● o ingrediente contém sódio, que está entre os minerais essenciais da alimentação;
● auxilia no equilíbrio e distribuição dos líquidos dentro e fora das células;
● ajuda no ritmo cardíaco;
● contribui para a contração muscular;
● auxilia o bom funcionamento do cérebro;
● é a principal fonte de iodo, que previne aborto natural e evita deficiência mental.

Há quem prefira eliminar o sal da alimentação. Entretanto esse não é o melhor caminho, pois está provocando males à saúde. Confira os riscos da falta total de sal no organismo:
● queda na pressão arterial;
● confusão mental;
● câimbras;
● náuseas;
● convulsões;
● fraqueza.

Saiba porque idosos devem evitar o excesso de sal

O envelhecimento causa muitas mudanças no corpo. Os sentidos também envelhecem e não funcionam mais como os de um jovem de 18 anos.
Portanto a visão e a audição são os primeiros a apresentarem os sinais da maturidade. Mas o paladar também está nessa lista.
Isso quer dizer que as pessoas idosas têm mais dificuldade para sentir os sabores devido ao desgaste das papilas gustativas. Elas são pequenas partes elevadas da língua que levam estímulos de sabor ao nosso cérebro.
Como o idoso sente o sabor com menos intensidade ele tende a achar que uma comida está insossa e acrescentar mais sal. Como consequência pode agravar problemas renais, cardíacos e o estado de saúde em geral.

Sódio

E o pior de tudo é que não é somente o sal que é prejudicial. Todos os alimentos processados contêm sódio (presente no sal) e acarretam os mesmos problemas.
O governo e a indústria alimentícia brasileira já realizaram vários acordos para reduzir a introdução de sódio nos alimentos. Porém, ainda atinge níveis altos. Veja os alimentos ricos em sódio que devem ser evitados:

● macarrão instantâneo (com e sem tempero);
● frango empanado;
● hambúrguer;
● salsinha;
● biscoito de polvilho;
● biscoito água e sal;
● salgadinho de milho;
● requeijão.
Portanto uma alimentação natural, com frutas, verduras e legumes, é o melhor caminho para se prevenir doenças e disfunções de órgãos vitais do organismo.

Veja quantidade ideal de sal e os principais tipos no mercado

Crianças, jovens, adultos e idosos devem evitar o consumo excessivo de sal. Isso você já sabia. Mas você sabe qual é a quantidade ideal de consumo diário, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS)?
Sabe aquela colher de café bem pequena? Pois é, considere meia colher de sal por dia, ou seja, 2 gramas. Essa quantidade deve ser dividida em todas as porções individuais.
É bem verdade que usamos mais que o dobro diariamente, mas sabemos que os efeitos são indesejados.
Dessa forma uma boa alternativa é encontrar temperos mais suaves. Confira algumas dicas:

● sal light: é indicado para hipertensos por conter menos sódio que o sal convencional, mas como tem sabor mais suave não pode ser usado em demasia;
● sal marinho: ele não passa pelo mesmo tratamento químico do sal normal, mantendo mais de 80 elementos intactos, como o iodo e o cálcio;
● sal grosso: possui a mesma quantidade de sódio que o convencional, entretanto, tem sabor mais marcante e, por isso, acaba sendo usado em menor quantidade.

Saiba como fazer o sal de ervas

Embora o uso equilibrado do sal seja a solução ideal, o idoso que não acostumar seu paladar tão repentinamente pode se valer de outras saídas. Uma delas é o sal de ervas. Você já ouviu falar?
Ele é artesanal e tem um potencial de sódio bem reduzido em comparação ao sal de cozinha. É muito interessante para hipertensos e pessoas idosas que desejam diminuir a ingestão do produto, seja por recomendação médica ou por iniciativa própria.
Veja como preparar:

Ingredientes

● 25 g de manjericão;
● 10 g de alecrim;
● 10 g de salsinha;
● 15 g de orégano
● 100 g de sal marinho.

Como fazer

Pegue todos os ingredientes e bata no liquidificador até ficarem numa cor homogênea. Guarde o tempero num pote e use-o no lugar do sal refinado.
Para concluir, o excesso de sal causa riscos à saúde do idoso, especialmente se ele já apresentar diagnóstico de hipertensão e problemas cardiovasculares.
Na Cora Residencial Senior contamos com nutricionistas para atenderem os residentes com uma alimentação equilibrada e balanceada seguindo os parâmetros internacionais de consumo de sal.
Quer saber mais? Entre na nossa página no Facebook, curta e acompanhe nossas publicações.