Uma profissão que tem despontado nos últimos anos quando o assunto é cuidados geriátricos é a de cuidador de idosos. Como o próprio nome diz, o profissional é responsável por atender às necessidades básicas do idoso e auxiliar em tarefas do dia a dia.
Mas acima de tudo ele precisa ter amor pela profissão, pois imagine a responsabilidade que é cuidar de alguém que não é da sua família. Por isso é muito importante saber contratar um bom profissional.
É essencial buscar informações sobre as referências e o histórico profissional do cuidador.
Se você tem dúvidas das atribuições do trabalhador, do que pode e do que não pode pedir para ele fazer, do tipo de contratação e da jornada, acompanhe as informações deste post. Boa leitura!

O que faz um cuidador

● dá remédios por via oral;
● ajuda a trocar de roupa;
● acompanha num passeio;
● prepara e serve a comida exclusivamente do idoso;
● dá banho;
● troca a fralda (se necessário);
● verifique o estoque de remédios e fraldas (se forem utilizadas);
● ajuda na locomocação;
● faz curativos comuns;
● lê um livro, bate um papo e interaje com o idoso.

O que não faz um cuidador

● dar injeção;
● passar sonda nasogástrica;
● medir a insulina;
● fazer qualquer procedimento invasivo;
● limpar a casa;
● lavar roupas;
● cozinhar para a família inteira.

Regulamentação: o que diz a lei trabalhista

O cuidador tem direito à carteira assinada e a todos os direitos trabalhistas quando é contratado. O regime é o da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) e ele se enquadra nas mesmas regras do trabalhador doméstico.
Mas é importante fazer uma ressalva: o fato de ele ser contratado como trabalhador doméstico não quer dizer que exercerá tarefas domésticas, mas sim tudo o que se refere ao bem-estar e aos cuidados pessoais da pessoa idosa sob a sua responsabilidade.
Sendo assim o profissional tem direito a: jornada de 8 horas, descanso semanal, 13º salário, férias remuneradas, vale-transporte, FGTS, seguro desemprego, licença-maternidade e outros benefícios.
Nesse sentido, devido à jornada, é preciso contratar no mínimo três cuidadores se a família necessitar da mão de obra nas 24 horas diárias. Além disso, é preciso prever eventuais faltas e licenças.
Considerando que a média salarial paga a um profissional é de R$ 1.353,27, a contratação do serviço da equipe pode ficar um pouco salgada. O valor foi divulgado pelo site Salario.com.br com base nos dados do Caged(Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) entre maio e dezembro de 2019.

Impasse: profissão ainda não foi regulamentada

A profissão que foi ganhando a simpatia de muitas famílias ainda não é regulamentada. A primeira proposta de lei para formalizar o ofício surgiu em 2007. Anos depois ela se transformou no Projeto de Lei 11/2016, que foi aprovado no Congresso, mas foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro por recomendação do Ministério da Economia.
A proposta visava tornar a atividade numa profissão reconhecida, com certas exigências a serem cumpridas pelos trabalhadores da área, como:

● ensino fundamental completo;
● mínimo de 18 anos de idade;
● sem antecedentes criminais;
● atestados de aptidão física e mental;
● respeito ao Estatuto da Criança (se cuidar de crianças com deficiência) e ao Estatuto do Idoso.

O projeto delimitava ainda as funções do profissional, como cuidar exclusivamente do idoso e não exercer atividades que exigissem conhecimentos técnicos que entrassem na área de atuação dos técnicos de enfermagem.
Sendo assim como o profissional não precisa ser registrado em nenhum conselho de classe, como é o caso dos técnicos de enfermagem no Coren, é importante que a família leve em consideração as referências, o currículo e os conhecimentos do cuidador por meio de uma entrevista e da análise do seu histórico.

Profissão cuidador de idosos: é preciso amor e técnica

Cuidar da pessoa idosa, se ela estiver muito frágil devido a uma doença, ou ainda acamada após um tratamento médico ou uma cirurgia, não é tarefa das mais fáceis.
Como todo mundo hoje em dia precisa trabalhar. É difícil encontrar entre os familiares uma pessoa com disponibilidade para acompanhar o idoso em todas as suas necessidades.
Muitas famílias acabam revezando-se para assumir esse cuidado ou então deslocam um trabalhador doméstico para acompanhar as tarefas relativas exclusivamente à pessoa idosa.
No entanto essa solução nem sempre é das melhores, pois é preciso ter conhecimento técnico para desenvolver o trabalho no dia a dia. A maneira certa de virar o indivíduo acamado, os cuidados com a higiene pessoal, a interação social, a hora certa de dar remédios, a hora de repousar, entre outras atribuições.
Portanto para ser um bom profissional, é importante que ele tenha cursos adicionais, além do ensino fundamental, como o ensino médio e algum diploma, como o de auxiliar de enfermagem ou de primeiros-socorros.

Qualidades indispensáveis
Além da técnica certa é preciso que o profissional tenha muito amor ao ofício. Ele lidará com a pessoa idosa, mas precisa saber interagir bem com os parentes, com a equipe de saúde e com todos aqueles que mantêm contato com o indivíduo que está sob os seus cuidados.
Portanto ele precisa ser paciente, tolerante, carinhoso e atencioso nas necessidades do idoso, afinal, será uma das pessoas ligadas ao círculo de contatos que passará mais tempo ao lado da pessoa idosa.
Acima de tudo o parente precisa se sentir à vontade na presença do profissional, gostar da sua companhia e se sentir protegido e bem cuidado.
Para concluir, a profissão de cuidador de idosos é muito procurada nos dias de hoje devido à atenção que deve ser dada nesta faixa etária. Além disso, nada melhor que contar com um profissional treinado e capacitado para atuar.
Só para ressaltar, o profissional deve ser contratado para atender a tudo que se refere aos cuidados do idoso, sem realizar procedimentos que se aproximem da atuação do enfermeiro nem assumir a carga dos trabalhos domésticos.
Na Cora Residencial Senior dispomos de um time de cuidadores de idosos prontos para prestar os atendimentos primários e compartilhar bons momentos com os residentes.
Além disso, contamos com uma equipe multiprofissional responsável pelos cuidados do residente em todas as esferas.
Contamos com fisioterapeutas, farmacêuticos, enfermeiros, nutricionistas e geriatras. Cada qual atua dentro da sua especialidade e, juntos, os membros da equipe trocam informações e sugestões para promover o bem-estar do residente.
Para conhecer mais sobre a nossa equipe, assista à websérie “Cuidados e Afetos” no nosso canal do YouTube.