Em um residencial para idosos, os cuidados humanizados são um grande diferencial. Isso, porque é através dessa técnica que se promove mais qualidade de vida, saúde e bem-estar aos residentes e seus familiares. E para ajudar você a entender a diferença e os benefícios da humanização, preparamos este miniguia. Vamos lá?

Qual a diferença entre os cuidados humanizados e convencionais?

Enquanto o cuidado convencional está ligado a práticas padronizadas, o cuidado humanizado é relacionado à individualidade de quem está sendo assistido. O professor e pós-doutor em bioética, Leo Pessini, define no livro Humanização e Cuidados Paliativos que entender o outro e respeitá-lo são condutas primordiais na composição do cuidado humanizado.

Isso significa que cuidar de idosos e de seus familiares dentro dos conceitos da humanização, requer se colocar no lugar do outro. E essa grande dose de empatia é o que difere, na prática, os cuidados humanizados daqueles convencionais.

Como colocar o cuidado humanizado na prática?

O cuidado humanizado deve ser colocado em prática em todas as atitudes. Desde as mais simples, como olhar os residentes nos olhos, até as mais complexas – como entender suas dores e solucioná-las.

Confira as principais condutas do atendimento humanizado:

  • Olhar nos olhos
  • Chamar pelo nome
  • Ouvir com atenção cada residente
  • Conversar em tom amigável
  • Sorrir
  • Colocar-se no lugar do idoso e de seus familiares
  • Compreender suas dores, medos e problemas
  • Tentar solucionar suas dores e problemas
  • Acalmar seus medos
  • Aconselhar
  • Passar segurança
  • Dar informações com transparência, mas sempre considerando o aspecto emocional do idoso e de seus familiares
  • Respeitar a individualidade, crenças e autonomia dos residentes
  • Respeitar a dignidade dos residentes
  • Fornecer estrutura adequada e adaptada
  • Promover momentos de descontração, lazer e socialização