O envelhecimento traz benefícios que chamam a atenção do mercado de consumo e de trabalho

O mercado de consumo já se deu conta do potencial financeiro entre a população idosa e vem investindo em novos produtos e serviços focados nesse público. Segundo o relatório Consumer Generations, divulgado pela Tetra Pak em 2017, na última década as pessoas com mais de 60 anos tinham 11% da renda no Brasil. Até 2020, serão 16%. Porém, essa é apenas uma das vantagens do envelhecimento. É a fase em que o conhecimento e habilidades adquiridas estão consolidados, a maturidade e a inteligência emocional trazem o equilíbrio buscado por tantos anos, além da maior disponibilidade de tempo livre para o lazer e os amigos.

Mais horas disponíveis: No estudo Sleep, o pesquisador Derk-Jan Dijik, que é especialista na fisiologia do sono e professor da Universidade de Surrey, na Inglaterra, constatou que que as oito horas de sono recomendadas como ideias tendem a diminuir a necessidade com o avançar da idade. Enquanto as pessoas entre 20 e 30 anos dormem, em média, 7h23 por noite, entre 66 e 83 anos a média baixa para 6h51, fazendo com que se tenha mais tempo acordado.

Conhecimento: Um estudo divulgado na revista científica Journal of Topics in Cognitive Science aponta que o cérebro dos idosos acumula mais informações. Segundo a pesquisa, a lentidão verificada nas respostas entre pessoas dessa faixa etária não está relacionada a perdas cognitivas, mas devido à quantidade de conhecimento armazenado. Já a pesquisa Estudo Longitudinal, de Seattle, revelou que apesar das habilidades matemáticas não serem exemplares e nem tão velozes, os idosos apresentavam melhor desempenho em questões como vocabulário, orientação espacial, memória verbal e, principalmente, resolução de problemas. Segundo os pesquisadores, esse resultado pode estar ligado ao acúmulo de certos tipos de conhecimento ao longo dos anos, a inteligência cristalizada, e ao fato de os idosos desenvolverem, com a maturidade, a capacidade de entender o que é realmente importante.

Felicidade: Pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com a população acima dos 60 anos mostrou que 82% dos entrevistados encaram a terceira idade de forma positiva. O levantamento foi realizado em todas as capitais brasileiras em 2018. Os entrevistados atribuíram, em média, nota oito para o grau de felicidade com o atual momento da vida. Sentimentos como tranquilidade (36%), felicidade (30%), disposição para realizar atividades do dia a dia (22%), independência (20%) e produtividade para se manter ativos (20%) apareceram com destaque. Além disso, 18% disseram estar saudáveis e 12% ter planos para o futuro.

Mercado de trabalho: Uma pesquisa realizada no Brasil pelo Datafolha mostrou que 56% dos brasileiros acreditam que as pessoas acima de 60 anos são os mais preparados para o trabalho. Responsabilidade, honestidade e ética foram qualidades atribuídas a essa faixa etária por 75% dos entrevistados.