Sim. Os familiares podem se juntar aos residentes e fazer uma nutritiva refeição. Basta comprar o tíquete na recepção e degustar dos pratos na companhia dos idosos.

Sim. Alimentações fora do cardápio podem ser oferecidas ao residente, mas, previamente, nossa equipe de nutricionista deve ser avisada, para que a alimentação atenda aos critérios estabelecidos nutricionais e vigilância sanitária.

Sim. As visitas são muito bem-vindas 24h na Cora. Acolhemos os familiares e amigos dos idosos para acompanharem nosso dia a dia, uma tarde gostosa de sol, ou algum tipo de atividade no residencial. Muitas vezes as visitas também podem ser feitas para a realização de atividades especiais, fora do residencial.

Não. A Cora respeita a vontade de todos os seus residentes, por isso, nenhuma atividade é obrigatória. Porém, estimulamos a participação de todos, pois sabemos dos benefícios para o desenvolvimento físico e cognitivo, além da socialização, que as atividades propostas geram ao idoso.

Sim. Em muitos casos, os residentes que optam por viver na Cora, não possuem nenhuma restrição médica quanto sua locomoção, ou estado psicológico, portanto, podem se ausentar e retornar ao residencial quando quiserem. Entretanto, é importante que a equipe da Cora esteja ciente dessa vontade e condição.

Sim, o idoso pode, e até deve, personalizar o quarto para que sua experiência na Cora seja ainda mais confortável e aconchegante. Basta que, previamente, nossa equipe seja avisada, para que todos os detalhes da personalização estejam alinhados para o bem-estar e segurança do futuro residente.

Quanto mais tranquilo for o processo de decisão, e quanto mais ele participar da escolha, mais rápida e natural será a adaptação do idoso em um residencial. Na Cora é realizado um conjunto de procedimentos para a acolhida inicial do idoso, garantindo segurança até ele se ambientar com a sua nova residência – trajetos para o quarto, refeitório e ambientes de socialização; e participação de atividades.

Em muitos casos, este processo de adaptação é mais demorado para a família. Não ter o idoso em casa, não se sentir, inicialmente, confiante e seguro com a instituição escolhida, entre outros fatores, faz com que os sentimentos fiquem confusos. É como a síndrome do ninho vazio.

Sim. Diversos órgãos governamentais fiscalizam estas instituições para avaliar diferentes aspectos, desde a estrutura até o atendimento ao idoso, como a Vigilância Sanitária, os Conselhos dos Idosos e o Ministério Público.

Temos seis unidades em toda a cidade de São Paulo:

Campo Belo – Rua Demóstenes, 748

Higienópolis – Rua Marquês de Itu, 816

Ipiranga – Rua Antônio Marcondes, 427

Jardins – Rua Leôncio de Carvalho, 98

Tatuapé – Rua Azevedo Soares, 21

Villa Lobos – Rua Professora Helena Moura Lacerda, 131

Os residentes da Cora contam com médicos, enfermeiros, nutricionistas e profissionais de saúde especializados; seis refeições diárias balanceadas e elaboradas por nutricionistas; duas atividades diárias para socialização; suítes individuais, duplas ou triplas, com todo conforto e segurança; limpeza diária e lavanderia para até 70 peças por residente/mês; fraldas, medicamentos, fisioterapia, salão de beleza e locação de equipamento (serviços contratados de acordo com a necessidade de cada idoso); infraestrutura construída especialmente para o bem-estar do idoso; localização privilegiada com seis endereços por toda a cidade de São Paulo; e conforto e cuidado para que cada residente se sinta em casa.