Assumir a responsabilidade de dar assistência e cuidados a uma pessoa idosa demanda tempo e atenção.

Com o envelhecimento da população, a demanda por residenciais com serviços especializados vem crescendo. Para muitas famílias, as instituições de longa permanência para idosos (ILPI) surgem como opção para oferecer melhor qualidade de vida, atendimento especializado e infraestrutura adequada. E é nesse momento que avaliação multidimensional do idoso é solicitada. No Brasil, o número de idosos vivendo em instituições públicas aumentou 33% em cinco anos, segundo dados do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), do Ministério de Desenvolvimento Social.

Em 2012, eram 45.827 pessoas com mais de 60 anos vivendo em instituições de longa permanência mantidas pelos governos estaduais ou municipais. Em 2017, esse número chegou a 60.939.

Já nas instituições privadas não é possível quantificar esse número exatamente. Uma pesquisa do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), realizada em 2011, apontou a existência de 83 mil idosos vivendo em residenciais para a terceira idade, já considerando as instituições públicas. Com o aumento da expectativa de vida da população, a estimativa é de que hoje esse índice ultrapasse 100 mil idosos.

Cora. Um lugar para morar. Um presente para viver.

Na Cora, todas as unidades foram projetadas para oferecer segurança e conforto aos idosos e aos seus familiares, com equipes especializadas para acompanhamento diário de cada residente em eventuais emergências. Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas e outros profissionais de saúde, com experiência no cuidado de idosos, garantem a excelência do atendimento.

Avaliação global da saúde e hábitos do idoso.

Para propiciar o melhor atendimento e os melhores serviços aos idosos institucionalizados, a avaliação antes da internação é uma etapa fundamental no processo de contratação da Cora. Por meio desta avaliação, nossos profissionais podem identificar o estado de saúde do idoso, conhecer seus comportamentos e as atividades mais adequadas para seu perfil.

As avaliações pré-admissionais são realizadas nas unidades Cora e, quando necessário, em hospitais e domicílios.

De acordo com Paula Parra, enfermeira da Cora, as informações obtidas nas avaliações permitem identificar as capacidades funcionais dos idosos e suas necessidades nas atividades de vida diária. “Buscamos o máximo de informações para promover uma melhor adaptação dentro do residencial”, explica Paula.

De acordo com a enfermeira estes são alguns pontos observados na avaliação:

  • Cognição: Capacidade mental de compreender e resolver adequadamente os problemas do cotidiano.
  • Humor/Comportamento: Motivações necessárias para a realização das atividades e a participação social dentro do residencial.
  • Mobilidade: Capacidade individual de deslocamento e de manipulação de utensílios e equipamentos.
  • Comunicação: Capacidade de estabelecer um relacionamento produtivo com o meio, trocar interações, manifestar desejos, ideias e sentimentos.